domingo, junho 01, 2008

Preconceitos...



Entranha-se na estranha pele,
Um odor nauseabundo de audácia
Que arrebata com fervor
Qualquer dúvida intrusa.

Mergulha nesta vastidão
De preconceitos impostos
Desde os primórdios dos séculos
Sem se perguntarem porquê.
Fazendo da sua vontade uma regra.

Escondendo a verdadeira razão
Alimentando a mesquinhez
De um ego que mais uma vez venceu!
Puro preconceito!

Pára, escuta, estuda-o.
Nunca o julgues, cada um tem o seu mundo!
E finalmente, vence se essa superstição,
E evoluirás enquanto humano.
Arrebata com essa indecisão
E vive, que só se vive uma vez!
Respeita e serás respeitado!
Senão, tenta compreendê-lo
E segue! Deixando-o feliz na sua pobreza de espírito!

7 Comments:

Anonymous carlos guedes said...

uma bela imagem,um belo texto...
tens muita creatividade e uma maneira unica de escrever textos ... esta muito excelente :D
bjokasss :p

6:39 da tarde  
Blogger Deusa Odoya said...

Você mimnha nova amiga.
Nos retrata em poemas , a falar da nossa alma.
Seu poema nos diz tudo.
Beijos e voltarei sempre.
Estás de parabéns.
sua nova amiga.

Regina Coeli.

Te aguardo no meu cantinho.

8:30 da tarde  
Blogger Maria said...

é bom ler-te, outra vez.
espero que tudo se recomponha e que o teu regresso aqui signifique assiduidade....
:))
beijo

11:04 da tarde  
Blogger Vera said...

Um poema forte e muito belo.
Gostei imenso :)

Beijinhos

11:11 da tarde  
Anonymous PiTi said...

Surpreendes todos os dias. És como o vinho do Porto... quanto mais velha melhor... bjs

12:13 da manhã  
Blogger Bento Abreu said...

Bonito e com carácter pode-se definir este poema, isto se algum dia se pode definir um poema de uma escritora como tu.
Parabéns pelo nosso dia(dia mundial da criança).
Beijo


Bento

12:21 da tarde  
Blogger Philip said...

Real, Verdadeiro, Fantástico...

8:45 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home