segunda-feira, outubro 13, 2008

O universo num berço de inocência

Neste mar de encanto
Aqui me ajoelho
Defronte da lua
Desprotegida e nua
Das falsas ditas verdades
Da hipocrisia do mundo
Inocente perante a mentira.
Recusando-me a olhar
Para o universo
Comparando-o desde que o vi
Num berço de inocência.

Etiquetas:

5 Comments:

Anonymous joao santos said...

esta muito lindo,escreves mt bem e todos os poemas sao mt sentidos

12:29 da tarde  
Blogger Bento Abreu said...

Mais um bonito poema. Já sei que o escreveste há algum tempo e a tua inocência já se foi, não é?

Beijo e continua a escrever, estas no bom caminho :D

8:29 da tarde  
Blogger Mighty said...

digno de um livro, encomendado, recomendado ou escolhido.

5:24 da tarde  
Anonymous pedreiros said...

ar condicionado para veiculos | reformas em geral | reformas de apartamento | ar condicionado automotivo | reforma de casas | pedreiros | pintura predial e residencial | centro automotivo | oficina mecanica | criacao de sites | site painel administrativo | ar condicionado automotivo | reforma de casas | pedreiros | chocolate trufas | centro automotivo | oficina mecanica | criacao de sites | ar condicionado para veiculos | reformas em geral | reformas de apartamento | ar condicionado automotivo | reforma de casas | pedreiros | pintura predial e residencial | centro automotivo | oficina mecanica | criacao de sites | site painel administrativo | ar condicionado automotivo | reforma de casas | pedreiros | chocolate trufas | centro automotivo | oficina mecanica | criacao de sites

4:32 da tarde  
Blogger JSimão said...


Contemplação conturbada, ventos da razão agitam a dourada falta de visão.
Adictos à ilusão com contornos de conforto, decompõem a razão e ainda matam o morto.
Recusa assim de vida, não é sentença de morte. É procura sentida do alcance da sorte.

Beijinho :)

6:26 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home